A frustração de ser Cosplayer 4


Vou falar uma coisa que ninguém nunca havia ouvido antes: Artista no Brasil é considerado um nada. Artista de qualquer tipo, seja pintor, escritor, desenhista, cantor, cosplayer. Antes de começar a fazer cosplay, coloque isso na sua cabeça. Dificilmente você terá atenção sem ser chamado de criança ou vagabundo, dificilmente alguém terá consideração por você.

Um tempo atrás, estava uma pequena polêmica no meu facebook devido a um problema que eu tive com um cosplay, e eu demorei, demorei, não ia escrever sobre, mas vou porque como a Kyo mesma diz pra mim, quem consegue falar sobre é porque já superou, certo?

Eu fazia um cosplay, não importa qual para não gerar discussões maiores sobre o assunto, embora eu saiba que vocês vão descobrir sozinhos logo logo. Era um cosplay de um livro, e quando li esse livro, minha maior vontade era conhecer a autora, por sorte, ela era brasileira. Demorou uns anos, mas finalmente eu pude conhecê-la, e para minha felicidade ela era super legal, um amor de pessoa. Lembro-me que ela havia feito um concurso cosplay do livro, eu me matei pra fazer a personagem principal, e consegui o primeiro lugar. Desde então, eu viajava frequentemente daqui para São Paulo para ajudar com a divulgação do livro e ver a autora, sempre levava algo, com todo o carinho. Ah, e todas as viagens eram pagas por mim, hospedagem, consumação em eventos, entre outros, e tudo bem, como eles não tinham como pagar, eu fazia por satisfação pessoal mesmo. Cheguei a decorar música pra cantar, preparar apresentação, etc. E isso as pessoas falando "Kaya, para de ser trouxa, logo logo ela esquece que você existe" nada, eu ia toda feliz. Pois bem. Outra menina apareceu fazendo cosplay lá em São Paulo, e não, não tive ciúme, sou adulta, contrário do pessoal que participou dessa discussão na época, e também, já tinha visto outros cosplayers dessa personagem, já tinha tirado foto junto, conversado, tudo numa boa, foi divertido. O que me chateou mesmo, foi o que ocorreu depois.

Não sei se essa menina falava mal de mim pra autora, ou o que ocorreu por trás dessa história toda, é um mistério :) Mas do nada pararam de me chamar pra evento, nem lembravam mais do meu nome, aí eu fui começando a ficar meio possessa, até deletar todo mundo e começar a ignorar o assunto. Foi quando uma pessoa me marcou num evento dizendo "Deviam chamar a Kaya, o cosplay dela também é muito bom" e veio a resposta "mas a Kaya não é de São Paulo" e então veio a minha resposta "engraçado que isso nunca foi problema antes". :) Pois é, meus amigos. É assim que é no meio cosplay, é assim que é na vida. Enquanto você tem valor pra alguma coisa, te tratam extremamente bem, quando você não presta mais pra nada, te descartam. E bem, na época eu arranjei briga, porque um pessoal meio retardado que nada tinha a ver com a discussão veio falar que eu tinha inveja da menina. :) E quanto a isso, minha resposta universal: Inveja eu tenho de gente que é rica e faz o que quer, de qualquer um eu não tenho inveja. Meu problema se quer era com a garota, somente se eu descobrir alguma coisa sendo dita a meu respeito, aí meu problema passa a ser com ela, que foi o que ocorreu depois que ela mandou uns amiguinhos discutirem comigo por chat e eu descobri a índole do ser humano, mas enquanto não era, meu problema era com a autora e a falta de consideração mesmo.

Essas são as palavras: Falta de consideração. E as palavras que você mais escuta: Para de ser trouxa. Pois é, esse ano eu parei de ser trouxa mesmo. Esse foi um dos fatos que levaram a minha quase desistência desse mundo de merda que é cosplay, o segundo foi o fato do meu cosplay do Aoba ter dado tanto problema sendo extremamente simples. E dentro desse mundo, o que mais pesa pra mim é a falta de consideração mesmo, mais do que gente falando mal pelas costas, mais do que gente estúpida mandando amiguinho discutir com você, mais do que qualquer outra coisa, é isso.

É você acordar cedo pra ir fazer coisas pros outros e não ter reconhecimento nenhum, é você as vezes ser convidado pra evento e não ter direito nem a tomar um copo d'água, é ser convidado pra sessão de fotos onde te tratam mal, é fazer as coisas por boa vontade e ser humilhado muitas vezes. Por sorte, e muita sorte, o evento em que eu trabalho, todos os organizadores são uns amores comigo, porque o que eu já me magoei, já me chateei e me irritei por eventos assim, só eu sei. E sim, eu sou rebelde e muitas vezes arrumo briga com os outros, mas eu não sou de pedra, muitas coisas me magoam e me fazem não querer mais voltar ao lugar depois de perceber o quanto eu me doei pra isso.

Muitas vezes nesse mundo, você terá que aprender a lidar com isso, além das pessoas que já são insuportáveis por natureza, invejosas e babacas, você terá que lidar com eventos também, seus staffs, donos, entre outros, que muitas vezes, não quer saber dos seus problemas e não se importa com a sua existência. Logo, isso significa que você vai se trocar no banheiro, com pouco espaço, não terá acesso a guarda-volumes, não poderá nem pedir um pouco de água.

É difícil e eu não quero desanimar ninguém o tanto que eu me desanimei, mas infelizmente, a vida não é um mar de rosas, acho que esse hobby é quase igual a todos, mas com mais contras do que prós, então você precisa ter muito, mas muito amor para continuar e as vezes, só amor infelizmente não vale a pena. Se você não se pegar se descabelando, sem dinheiro e chorando pelos cantos muitas vezes, você não sabe o que é ser cosplayer. E infelizmente, a falta de consideração vem desde antigamente mesmo, ninguém escapa dessa, mas a pergunta é até quando? Até quando vai esse jeitinho do ser humano de tratar todo mundo feito lixo? Por que simplesmente não se pode ter mais consideração para quem trabalha com você, por você ou até mesmo para quem te faz um favor? Ah não, tem certas coisas que eu ando passando longe hoje em dia. 

A frustração de ser Cosplayer 4

Compartilhe:

Deixe um comentário

7 comentários:

  1. Pessoas são um lixo.

    ResponderExcluir
  2. Poderia falar uma matéria sobre os Youtubers Teen terem acabado com os eventos de animes e virado um bacanal de youtuber

    ResponderExcluir
  3. Faz uma matéria sobre a violência e assédio com os(as) cosplayer sofrem nos eventos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Well, vou deixar na pauta e com certeza farei mais pra frente! Sobre os youtubers, se não me engano eu já cheguei a comentar numa matéria atrás.

      Excluir
  4. Fiz um cosplay grande pra ir num evento fds passado e nem consegui muita atenção. Quando são pessoas de panelinha famosinhas, qualquer coisa ficam falando que ela é melhor e ela aparece em um monte de páginas por aí, mas quando é a minha vez ninguém liga e meu cosplay não aparece em lugar nenhum depois do evento.

    ResponderExcluir
  5. Kaya! Primeiramente, parabéns pelo blog, li inteiro pela primeira vez hoje e me apaixonei.

    Essa questão de reconhecimento é complicada. Ainda assim, eu quero comentar sobre uma coisa boa que descobri esse ano pra trazer um solzinho pra vocês.
    Sabe toda essa quantidade ridícula de cosplays de LoL? Eu sempre critiquei isso bastante. Ainda assim, decidi fazer uma personagem do jogo esse ano. Afinal, eu não tava fazendo por reconhecimento/show off. Era por diversão, eu adorava a personagem e gosto bastante do jogo. Ah, sim, e tinha ganhado o ingresso do evento de graça. Era a final do campeonato brasileiro de LoL, no Ibirapuera, e a Riot deu 400 ingressos para cosplayers. Confesso que estava bem aflita antes do dia do evento. Me diverti bastante fazendo o cosplay, sentindo aquela empolgação engraçada de escolher a peruca e fazer os acessórios, mas tive medo do que aconteceria quando eu chegasse lá. Será que, entre essas 400 pessoas, teria algum daqueles famosinhos que compra briga por nada? Será que me julgariam por ser desconhecida? Achariam meu cosplay meio bosta? E, principalmente, será que o público NOJENTO de LoL me respeitaria? Afinal, minha personagem tinha as pernas à mostra - que crime.
    Esses e tantos outros pensamentos me mantiveram preocupada por semanas. Porém, quando o evento chegou, eu percebi que estava errada: foi a melhor experiência cosplay que já tive na minha vida. Todos os 400 de nós foram super bem tratados, sem exceção. Ganhamos lanchinho gostoso, dois camarins confortáveis, fotógrafos super simpáticos, lugares especiais na platéia e um desfile FANTÁSTICO. Nunca vi um evento tratar tão bem seus cosplayers. Aliás, inclusive a "elite" que estava lá se surpreendeu com as regalias que ganhamos. E a melhor parte foi, sem dúvida alguma, o tratamento entre os cosplayers também foi o melhor do mundo. Nós percebíamos que ninguém queria treta. Pessoas com o mesmo personagem desfilaram de mãos dadas. Uma cosplayer mais conhecida me ajudou a colar o salto do meu sapato. Saí de lá com 50 novos contatos no meu celular. Foi incrível. Parecia outro mundo. E lógico que o público deu aquela zoada desnecessária e nojenta, mas isso era de se esperar. A boa impressão que tive encobriu qualquer xingamento que eu tenha levado.
    Eu concordo com todos os relatos que estão nesse blog. Coisas desse tipo me levaram a desistir de fazer cosplay no ano passado. Inicialmente eu ia nesse evento só pelo ingresso de graça, pra falar bem a verdade. Mas depois de passar por isso... sei lá. Tenho medo de virar uma dessas pessoas que só fazem cosplay de LoL, ao mesmo tempo que tenho vontade de fazê-lo. É uma coisa meio confusa.

    Eu realmente espero que a fama de LoL ajude a levar essa experiência para os outros eventos também. É claro que a Riot é uma empresa que tem dinheiro para fazer isso tranquilamente, coisa que a maioria dos eventos não têm, mas se pelo menos as pessoas levassem esse comportamento pra fora do Ibirapuera já ajudaria um monte.

    Enfim, é isso. E parabéns de novo pelo blog! Amo as verdades que você fala hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Amane, em que mundo você entrou porque isso tudo é novo pra mim, nunca vi uma coisa do tipo acontecer em nenhum outro lugar. Acho que essa sua experiência foi meio que uma exceção a regra, haha.

      Excluir